Uma cozinha prática e ainda saudável não precisam ser incompatíveis. E o primeiro passo para unir esses dois universos é abrir mão dos alimentos processados e enlatados em favor dos frescos e naturais. Essa máxima vale também para os temperos que, quando industrializados, perdem seu poder vital e ainda podem prejudicar a saúde em função do alto teor de sódio e de conservantes. “A melhor opção é sempre utilizar os temperos naturais, como as ervas e especiarias”, garante a nutricionista Cintia Azeredo.
Ricas em óleos essenciais e propriedades antioxidantes, ervas como manjericão, tomilho, alecrim e sálvia são super acessíveis e devem ser utilizadas para deixar qualquer prato mais saboroso e saudável. Os benefícios são inúmeros. “No caso dos chás, há ervas que são calmantes e altamente eficazes no processo de relaxamento. Podem ser tomados a qualquer hora e sempre trazem conforto”, indica a nutróloga Alice Amaral.

Alecrim

Além de ser um ótimo fungicida – por isso, muito indicado para mulheres com candidíase de repetição – o alecrim é estimulante, vasodilatador, anti-séptico e anti-espasmódico.

Manjericão

Além de ajudar na digestão, aliviar cólicas e diminuir a formação de gases – graças à presença de eugenol, substância que modula a inflamação e atenua dores musculares -, o manjericão é rico em carotenóides, cálcio e magnésio, explica Luciana Harfenist. “Também estimula o suco gástrico e auxilia na absorção intestinal das vitaminas, contribuindo para o equilíbrio das nossas células”, acrescenta.

Hortelã

De acordo com Isabel Jereissati, a hortelã também tem efeito analgésico, antioxidante e relaxante, mas não deve ser consumida por pessoas com refluxo e com pedras nos rins. Para as mulheres, um dos grandes benefícios é o relaxamento da musculatura lisa gastrointestinal, o que contribui para o alívio das cólicas menstruais. “Uma dica é tomar chá de hortelã”, recomenda a nutricionista

Orégano

Podendo ser colocado dentro do vidro de azeite, o orégano possui ação antimicrobiana, bactericida e antifúngica, combatendo, por exemplo, bactérias patogênicas encontradas em quadros de alteração da flora intestinal.

Salsinha

Rica em vitamina C – ela possui 5 vezes mais que a laranja – e A, a salsinha contribui para aliviar o mau hálito e ainda promove o enriquecimento da pele. Como explica Luciana Harfenist, seu uso moderado é indicado no tratamento de de inflamações das vias urinárias, cálculos renais, retenção de líquidos e distúrbios menstruais.

Tomilho

Tempero para carnes, frango e peixe, o tomilho tem ação antibacteriana, antifúngica e antioxidante, graças à presença de carvacrol, explica Luciana Harfenist. Essa erva também é importante no equilíbrio das bactérias intestinais, segundo Isabel Jereissati.

Capim-limão

Erva aromática – o citral é a substância que confere seu aroma característico – com ação antioxidante, anti-inflamatória e antifúngica, o capim-limão é eficaz no tratamento de micose, candidíase e infecções na garganta. Luciana Harfenist também aponta seus benefícios para a detoxificação hepática e intestinal.

Matéria retirada : http://gnt.globo.com/bem-estar/materias/farmacia-na-cozinha-conheca-melhores-ervas-e-temperos-para-cultivar-e-ter-uma-alimentacao-mais-saudavel.htm

Pin It on Pinterest

Share This
× Como posso te ajudar?